Histórico

O campo da História Social do Trabalho já tem uma tradição consolidada na área de História. A despeito de momentos de maior ou menor visibilidade, manteve uma produção historiográfica contínua e de boa qualidade acadêmica, renovando-se em métodos e abordagens. A constituição do GT Mundos do Trabalho no interior da Associação Nacional de História (ANPUH) foi um desdobramento lógico de um “retorno” à História do Trabalho, verificável no aumento do número de pesquisas de iniciação científica, dissertações de mestrado e teses de doutorado dentro desse campo.

Durante o XX Simpósio Nacional de História (Florianópolis, 1999), um grupo de pesquisadores do Rio Grande do Sul deliberou reunir-se para institucionalizar uma prática de debate que vinha ocorrendo corriqueiramente em diferentes instâncias acadêmicas. Em novembro de 1999 lá se constituiu o primeiro núcleo regional do GT. Pouco tempo depois, outro grupo de pesquisadores, de São Paulo, tomou a mesma iniciativa de institucionalizar-se junto a seu Núcleo regional da ANPUH. Em 2000, estes dois grupos propuseram à diretoria da ANPUH a institucionalização do GT nacional, o que foi aprovado em dezembro daquele ano. Nos anos seguintes, o GT organizou-se em diversos outros estados, como Rio de Janeiro, Santa Catarina, Paraná, Bahia e Ceará.

Desde 2001, o GT Mundos do Trabalho participou intensamente de todos os Simpósios Nacionais bianuais da ANPUH, em geral com dois ou três simpósios temáticos, invariavelmente lotados e reunindo grande diversidade de temas e pesquisadores de várias instituições do Brasil. Nos Encontros dos Núcleos Regionais da ANPUH em que está presente, o GT também já acumula tradição de participação vigorosa. Além disso, o GT já realizou seis Jornadas Nacionais de História do Trabalho (Pelotas, 2002; Florianópolis, 2004; Niterói, 2006; Criciúma, 2008; Florianópolis, 2010 e Rio de Janeiro, 2012). Destaque-se que, nas duas últimas edições, as Jornadas Nacionais de História do Trabalho (2010 e 2012) foram realizadas conjuntamente com o I e II Seminário Internacional Mundos do Trabalho.

O interesse renovado pelos estudos de história social do trabalho tem sido demonstrado pelo crescente número de participantes brasileiros e estrangeiros nos encontros do GT, tanto de pesquisadores associados quanto do público acadêmico. A produção dos participantes do GT tem sido das mais expressivas, como pode ser avaliado pelos livros que publicaram e organizaram nos últimos anos. Além disso, já deu ensejo a alguns dossiês sobre as temáticas do trabalho em periódicos da área de História publicados por departamentos e programas de pós-graduação de diversas universidades brasileiras, como Tempos Históricos (UNIOESTE), Trajetos (UFC), História Unisinos (Unisinos), História (Unesp) e Revista Brasileira de História (ANPUH). O próprio GT publica, desde 2009, a Revista Mundos do Trabalho, com periodicidade semestral.

Quanto ao conteúdo dos trabalhos que por ele circulam, além dos tradicionais estudos sobre o movimento operário urbano, o GT Mundos do Trabalho tem reunido estudiosos dos mais diversos movimentos sociais urbanos e também das organizações e lutas do universo dos trabalhadores rurais. Também é preocupação de seus participantes a integração dos estudos sobre trabalhadores escravizados, libertos e livres e o estabelecimento de conexões entre a escravidão e o pós-abolição.

Anúncios