PASSEIOS E VIDA CULTURAL |TOURS AND CULTURAL LIFE

Elaborado por Frederico Bartz

Porto Alegre oferece um bom número de atrações culturais para quem tirar uma tarde para passear pela cidade ou dedicar um fim de semana para este objetivo. Infelizmente, a vida cultural da cidade tem sido vítima do descaso (muitas vezes proposital) das últimas administrações municipais, mesmo assim é possível encontrar muitas coisas interessantes para quem vem pela primeira vez à capital do Rio Grande do Sul.

Passeios:
Para quem quer conhecer a principal Rua de Porto Alegre (desde o seu surgimento), deve caminhar pela Rua dos Andradas (que todos chamam de Rua da Praia), onde existe uma série de restaurantes, museus, praças e, principalmente, porto-alegrenses! Também é possível fazer city tours oferecidos pela Prefeitura, a partir de um ônibus chamado de “Linha Turismo”. São dois passeios: pelo centro e bairros centrais, dando destaque para áreas de interesse histórico e pela Zona Sul da cidade, voltado para áreas rurais, passando por pequenas fazendas dedicadas a fruticultura e também por áreas de preservação ambiental.
Para saber mais, acesse este site:

Museus:
Porto Alegre também possui uma importante concentração de Museus na sua área central, próximo de onde vai se realizar o evento. No próprio Campus Central da UFRGS, existe o Museu da Universidade, aberto ao público. Muito próximos, estão o Museu da História da Medicina (no antigo hospital da Beneficência Portuguesa), o Museu Júlio de Castilhos, o Museu de Arte do Rio Grande do Sul, o Memorial do Rio Grande do Sul, o Museu Joaquim Felizardo e o Museu do Trabalho (que, apesar do nome, pouco ou nada tem exposto sobre a classe trabalhadora).
Também são locais importantes a Usina do Gasômetro e a Casa de Cultura Mário Quintana, que possuem espaços múltiplos para atividades culturais. Um pouco mais longe do centro, podemos destacar a Fundação Iberê Camargo no bairro Cristal e o Museu de Ciência e Tecnologia da PUCRS no Partenon. Além de todos estes, é importante destacar o Memorial Luis Carlos Prestes, projetado por Oscar Niemeyer, local que tem se destacado por abrigar várias atividades culturais e políticas da esquerda.

1. Museu Júlio de Castilhos
R. Duque de Caxias, 1205 – Centro Histórico, Porto Alegre – RS, 90010-281

2. Museu da História da Medicina
Av. Independência, 270 – Independência, Porto Alegre – RS, 90035-070

3. Museu de Arte do Rio Grande do Sul
Praça da Alfândega, s/n – Centro Histórico, Porto Alegre – RS, 90010-150

4. Memorial do Rio Grande do Sul
Rua 7 de Setembro, 1020 – Centro Histórico, Porto Alegre – RS, 90010-000

5. Museu Joaquim Felizardo
R. João Alfredo, 582 – Cidade Baixa, Porto Alegre – RS, 90050-230

6. Museu do Trabalho
R. dos Andradas, 230 – Centro Histórico, Porto Alegre – RS, 90020-000

7. Usina do Gasômetro
Av. Pres. João Goulart, 551 – Centro Histórico, Porto Alegre – RS, 90010-120

8. Casa de Cultura Mário Quintana
R. dos Andradas, 736 – Centro Histórico, Porto Alegre – RS, 90020-004

9. Fundação Iberê Camargo
Av. Padre Cacique, 2000 – Cristal, Porto Alegre – RS, 90810-240

10. Museu de Ciência e Tecnologia da PUCRS
Prédio 40 – PUCRS – Av. Ipiranga, 6681 – Partenon, Porto Alegre – RS, 90619-900

11. Memorial Luís Carlos Prestes
Av. Edvaldo Pereira Paiva, 1527-1889 – Praia de Belas, Porto Alegre – RS, 90110-060

1

2
Cultura:
Além dos Museus, para quem quer conhecer Porto Alegre e as tradições populares da cidade, recomenda-se passar um tempo no Mercado Público. Prédio construído no século XIX, ainda hoje é um ponto de encontro para as pessoas da cidade e um local onde podem ser encontrados produtos locais com preços acessíveis e restaurantes bastante tradicionais.
Outro ponto importante, próximo ao Gasômetro, é a Praça Brigadeiro Sampaio, onde se encontra a escultura “O Tambor”. Local de memória e resistência para a comunidade negra de Porto Alegre, que marca o antigo Largo dos Enforcados, onde escravizados eram condenados a morte e onde ocorreram as últimas execuções em Porto Alegre, em 1857.
Para quem deseja conhecer algumas das antigas fábricas da cidade, pode ir em direção à zona norte e passar pelo Shopping Total (antiga fábrica da Cervejaria Bopp) e DC Shopping (local onde se localizava a Fábrica Renner). O fato de estes locais terem sido reconvertidos em centros comerciais, entre outras coisas, mostram os limites que a cidade tem em relação à memória da sua classe trabalhadora.
Também relacionada aos espaços operários, existe o Vila Flores, antiga moradia coletiva que servia aos operários das fábricas do bairro Floresta, que foi transformado, nos últimos anos, em espaço para o desenvolvimento de projetos culturais.
Outra visita interessante pode ser realizada no Clube de Cultura, instituição formada com a ajuda de militantes comunistas, especialmente judeus, na década de 1950, para ser um local de fomento cultural e convívio entre militantes. Ainda hoje, o Clube ainda cumpre sua função de espaço progressista no bairro Bonfim.
Um passeio ao ar livre pode ser feito no brick da Redenção, feira que ocorre no domingo pela manhã e ocupa toda a extensão da Rua José Bonifácio, em que são vendidas antiguidades, peças de colecionador, livros, além da produção de artesãos e artista locais.
O Parque da Farroupilha, mais conhecido como Parque da Redenção, é o principal parque da cidade de Porto Alegre, local tradicional de encontro aos domingos, especialmente para andar de bicicleta, fazer exercícios, descansar ou para lagartear (tomar sol) comendo bergamota durante o inverno!
Por fim, vale a pena também conhecer a Travessa dos Venezianos, na Cidade Baixa, uma pequena rua, com habitações típicas das classes populares no início do século XX. Atualmente, todas suas casas foram restauradas e seu calçamento permanece original.

1. Mercado Público
Galeria Mercado Público Central, s/n – Centro Histórico, Porto Alegre – RS, 90020-070

2. Praça Brigadeiro Sampaio
R. Gen. Portinho – Centro Histórico, Porto Alegre – RS, 90010-110

3. Shopping Total
Av. Cristóvão Colombo, 545 – Floresta, Porto Alegre – RS, 90560-003

4. DC Shopping
R. Frederico Mentz, 1561 – Navegantes, Porto Alegre – RS, 90240-111

5. Vila Flores
R. São Carlos, 753 – Floresta, Porto Alegre – RS, 90220-120

6. Clube de Cultura
R. Ramiro Barcelos, 1853 – Bom Fim, Porto Alegre – RS, 90035-130

7. Brick da Redenção
Parque Farroupilha – Av. José Bonifácio, s/n – Farroupilha, Porto Alegre – RS, 90010-150

8. Parque Farroupilha.
Parque Farroupilha – Farroupilha, Porto Alegre – RS, 90010-150

9. Travessa dos Venezianos.
Travessa dos Venezianos- Cidade Baixa, Porto Alegre – RS, 90050-370

3

4
Vida Noturna:
Para quem deseja jantar ou conhecer os bares da cidade, os locais mais próximos e acessíveis se encontram na Cidade Baixa. Neste bairro, especialmente nas ruas Lima e Silva, República e José do Patrocínio podem ser encontrados um número considerável de opções para quem deseja confraternizar depois de terminadas as sessões do evento. Outro bairro em que existem boas opções para confraternização é o Bonfim, que já foi o mais importante bairro boêmio da cidade e assistiu ao desenvolvimento do punk rock nos anos 80, mas hoje em dia se destaca menos pela vida noturna, do que pelos pequenos restaurantes. No Centro Histórico existe um bom número de bares, principalmente próximo à Casa de Cultura Mário Quintana e no bairro Floresta, nos últimos anos vem se desenvolvendo atividades artísticas e culturais, especialmente próximas à Avenida Cristóvão Colombo.

 

Fora de Porto Alegre:
Para quem deseja conhecer espaços e locais com importante patrimônio histórico e bens culturais podem visitar localidades no entorno de Porto Alegre ou mesmo em regiões mais distante do interior do estado.

1. Viamão. Em Viamão, município vizinho à Porto Alegre e que foi sede da Capitania após a invasão espanhola em 1763, está localizada uma das mais belas igrejas coloniais do sul do Brasil, a Matriz Nossa Senhora da Conceição, erigida na primeira metade do século XVIII.

2. Santo Amaro do Sul. Ainda sobre o período colonial, vale a pena conhecer o pequeno vilarejo de Santo Amaro do Sul, na cidade de General Câmara, que, pelo seu isolamento, preservou a arquitetura dos imigrantes açorianos que chegaram a partir de 1750. Próximas a Santo Amaro estão localizadas outras cidades históricas de origem açoriana como Triunfo e Taquari.

3. Hamburgo Velho. Também próximo a Porto Alegre, na cidade de Novo Hamburgo, que é acessível por trem, está o distrito de Hamburgo Velho, com um considerável número de edificações construídas pelos imigrantes alemães no início do século XIX.

4. Antônio Prado. Igualmente na região colonial, porém na serra, vale a pena conhecer também Antônio Prado, cidade onde o patrimônio da colonização italiana foi mais bem preservado.

5. Bento Gonçalves. Porta de entrada do Vale dos Vinhedos, principal região produtora de vinhos e espumantes do Rio Grande do Sul, na região existem uma série de vinícolas que podem ser visitadas, além de outros passeios turísticos e culturais.

6. Cambará do Sul. Município localizado nos Campos de Cima da Serra, a mais de 1200 metros acima do nível do mar, na região mais fria do estado, possui belezas naturais como os canions que se abrem em grandes paredões rochosos. Trilhas e passeios podem ser feitos também a partir de outras cidades da região.

7. Pelotas. Mais ao sul do estado está localizado a cidade de Pelotas, que foi o principal polo econômico regional durante o século XIX, onde houve os maiores contingentes de trabalhadores escravizados e onde está preservada, em todo o espaço da cidade, a memória da população negra.

8. Rio Grande. Ao lado, Rio Grande, primeiro núcleo urbano do estado, possui um importante patrimônio histórico ligado à vida portuária, além de antigas fábricas no seu velho núcleo industrial.

9. Piratini. Cidade que se desenvolveu na primeira metade do século XIX, se tornou a primeira capital da República Rio-Grandense no período das revoltas regenciais. Devido ao seu isolamento nas Serras do Sudeste, preservou bastante de seu patrimônio histórico, assim como outras cidades da região como Canguçu e Pinheiro Machado.

10. Jaguarão. Outra localidade que preservou bem seu patrimônio histórico, que passou por um processo de restauro e revitalização na última década. Além do mais, a partir desta cidade também é possível visitar o Uruguai, cuja cidade de Rio Branco se localiza além da Ponte Barão de Mauá.

11. São Miguel das Missões. Mais distante, mas não menos importante, está São Miguel das Missões, onde podem ser vistas as ruínas da missão de São Miguel, um dos centros mais importantes das populações guaranis que viveram naquele espaço durante os séculos XVII e XVIII.

 

5

6

 

Para salvar essa programação, clique aqui.

Anúncios